segunda-feira, 15 de outubro de 2012

BERTA CABRAL NÃO FOI NADA MAL! BERTA CABRAL NÃO FOI NADA MAL!

A sonsa ontem estava que nem podia com ela mesma. Assim, com o ego todo inchado, que até parecia que estava com uma pancreatite! Parecia uma daquelas ratas de sacristia a quem o padre dera o rebuçado de carregar o sírio até ao altar! Toda a gente sabe que ela está grávida de fim de tempo de vários Passos Coelhinhos e que na casa dela as roseiras dão laranjas, tal como na casa da cigarra de Massamá as laranjeiras dão lindas rosas... (Pausa) Ãh... Ãh... Desculpem. Não sabia que já estavam aí! É que estava aqui a rever o discurso de vitória do António José Seguro e a pensar em voz alta ao mesmo tempo. O Tozé estava mesmo feliz a carregar o sírio, digo, a analisar os resultados das regionais de ontem nos Açores! Bem, depois dos hors-d'oeuvres, a análise pura e dura: Seguro referiu ontem, todo inchadote, que a vitória socialista nas regionais dos Açores foi "volumosa". As piadas do querido líder sobre a volumetria do candidato socialista são um exagero. O peso do bicho ainda não dá sequer para mandar abater em directo no "Toca a mexer", pelo que aludir ao volume na vitória socialista é um exagero manifesto e, mais ainda, uma indelicadeza para com as volumetrias de Berta Cabral! É assim, eu até queria aproveitar o ensejo para daqui prestar uma homenagem sentida à Berta, que não morreu em corpo, mas morreu em política, e dizer-lhe que, pela minha parte, jamais me esquecerei desse contributo único da candidata laranja às regionais açorianas: o de dar à política nacional um nome inigualável: "Berta Cabral". É daqueles nomes que me faria ir para a rua gritar por um candidato (o actor grita): BERTA CABRAL! BERTA CABRAL! BERTA CABRAL! Desculpem, entusiasmei-me! É que é assim: eu até posso demorar vários anos a fixar o nome do ontem eleito líder do governo regional dos Açores, agora, o de Berta Cabral ficou-me desde o primeiro dia que o ouvi. Para além de dar rimas fantásticas em slogans de campanha, Berta teve  ainda aquele gesto de discernimento político único que foi o de praticamente dizer que ela não era para ser confundida com Passos Coelho, uma pessoa que não se sabe o que andou a fazer estes anos todos antes de ser eleito primeiro ministro alemão. (Pausa) É assim, ela não disse isto assim, mas andou lá perto! E se mesmo assim perdeste, minha linda Berta, é porque tinha mesmo de ser... Minha Berta, la larga...
 
 
 

4 comentários:

  1. Já tinha lidos textos seus que a minha amiga Isabel Negrão me fazia chegar! Fabuloso. Daqueles que uma pessoa pensa mas porque é que não fui eu a escrever isto?!
    Vou voltar aqui. Muito frequentemente!

    ResponderExcluir
  2. Minha Querida Senhora dos Apartes:
    Benvinda!
    Helder, tens de aderir "ò FCBK" pa conheceres "pessoalmente" esta senhora... garanto-te que vale a pena!
    Também eu ADOOORO os teus textos! Sou é um bocado "silenciosa" :)
    Mas tenho-os enviado para muita gente que se tem deliciado com eles. Beijão

    ResponderExcluir
  3. Ando em negociações comigo próprio para aderir ao facebook. Obrigado por seguires o meu trabalho e pelo apoio na sua divulgação.
    beijo

    ResponderExcluir