quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Stand-up pelo meu país...

Olá, boa noite todos!

(Aguarda o fim das palmas)

Desde já gostaria de dizer que este espectáculo tem nudez e, por isso, se houver algum espectador mais sensível na sala, pedia-lhe que vendasse os olhos ou tapasse os ouvidos.

(O actor tira uma venda do bolso e uns abafadores...)

Pedia-vos também que não dissessem nada sobre isto à minha mãe... Penso que agora já temos as condições reunidas para começar...

 
Ultimamente, tenho dado por mim a reflectir sobre a vida! Deve ser desta fase que o país atravessa! Sinto que o meu país precisa de mim! Precisa que eu reflicta sobre as coisas, sobre aquilo que verdadeiramente interessa!

(Interagindo directamente com a plateia)

Olhando para vocês é fácil perceber aquilo que estais a pensar neste momento:
- Então e a que conclusões chegaste?
 
Ok, cá vai... Se vocês se lembram da Paula Neves na série "Riscos" e, simultaneamente, não conseguem tirar da cabeça o que aconteceu à princesa Diana e, como se isso não bastasse, sabem de cor o nome do túnel onde se deu o acidente, do namorado e do motorista, então, isso significa que estão no sítio certo e que nos vamos entender na perfeição...

(Pausa)

Quer dizer, não entendo bem a vossa reacção... Eu ainda sou daqueles que acha que para as pessoas se entenderem têm de partilhar os mesmos gostos, as mesmas ideias, os mesmos objectivos...

(Pausa)

É por isso que eu e a minha mulher não nos entendemos...

(Pausa)

Que é que eu posso dizer...

(Pausa)

Não temos os mesmos gostos...

(Pausa)

(O actor fala mais baixo) Ela não gosta de mim, eu não gosto dela...

Outra coisa na qual refecti foi nesta:
- Gostei muito das manifestações dos últimos dias, sobretudo, aquelas em que um grupo de manifestantes se despiu em frente à Assembleia da República, por causa do orçamento de estado... Este é, desde logo, um aspecto positivo dos orçamentos de estado: o facto de fazer com que mulheres que antes do orçamento andavam vestidas na rua passem, depois dele, a andar nuas na rua. Não me venham dizer, por isso, que este orçamento só tem coisas más! Também tem virtudes e, o meu único pesar, é que este não seja o orçamento de estado da Ucrânia...

(Pausa)

No entanto, não posso deixar de registar e, ao mesmo tempo, estranhar que o efeito que Vítor Gaspar causa nas mulheres seja a nudez... Ainda assim, não quero deixar de tentar a minha sorte e, por isso, este mês, quem faz o orçamento lá de casa sou eu!

(Pausa)

Eu já não via mulheres nuas num parlamento desde que as deputadas do Partido do Amor... No seio das quais - desculpem, não resisti ao trocadilho - essa grande ideóloga dos anos oitenta, Cicciolina, que deu novos mundos ao mundo, e não apenas ao mundo dos homens, mas também ao reino animal... Desculpem uma vez mais... É mais forte do que eu... Mas dizia, no seio das quais Cicciolina fundou um novo paradigma do amor: o amor político! Ao fim e ao cabo, aquilo que nos está a faltar neste momento.  Pode ser que a moda pegue e os deputados da oposição se dispam durante o próximo debate do orçamento! Estou a olhar para vocês e a imaginar o que vos vai na cabeça: o Zorrinho sem mascarilha consoante veio ao mundo... Nada disso, amigos, eu estava a falar de deputados da oposição...

(Pausa)

É assim, uma das conclusões a que também cheguei é que um deputado despido é um deputado menos perigoso que um deputado vestido, pois, para além de não ter hipótese de esconder nada na manga, sai muito mais barato em despesas de representação! E estamos em altura de poupar e os fatinhos dos deputados são em linho do caro!

+ nudez - linho = menos depesa do estado!

(Pausa)

Outra coisa em que eu pensei para reduzir a despesa do estado foi em reduzir o número de primeiros ministros!

(Pausa)

Não sei se concordam, ou não?! Foi uma ideia! Já se acabaram com os governadores civis! Já era tempo de se acabar também com outros cargos completamente inúteis, e que saem caro ao país!

(Pausa)
 
Agora, para finalizar, só mais uma reflexão. Aquela de que mais me orgulho, devo dizer, neste esforço patriótico de pensar o meu país para melhor o ajudar... É assim, já se sabe que o Cogumelo do Tempo evita as pernas inchadas e os avc's, atrasa o envelhecimento e dá macheza a coronéis na idade da reforma...
 
Já se sabe que é aquilo que dá força ao Roberto Leal e lhe permite continuar a fazer música, ou como se diz na minha igreja, homilias...
 
A minha ideia é a seguinte: não há alguém com poder económico, e bom gosto musical, que compre o laboratório do Paulo coelho onde isto é feito e deite fogo àquilo tudo! Depois, é só esperar que as pernas do Roberto inchem e...

Versão 1 - (O actor despede-se e abandona a sala vestido)
Versão 2 - (O actor despede-se e abandona a sala despido)
 
Adeus, boa noite!

Texto escrito para stand-up comedy e que desde já disponibilizo para stand-up comedians que estejam em início de carreira. Ou então, para o Herman.

Nenhum comentário:

Postar um comentário