segunda-feira, 18 de junho de 2012

Depois de ter tentado na Madeira sem sucesso, Nova Democracia vence na Grécia...

Portugal continua no Euro e isso foi um alívio para a Grécia, que, por sua vez, depois de ter carimbado a continuação no Euro no sábado, voltou a confirmá-la ontem, com a vitória suadinha da Nova Democracia nas eleições helénicas. Confusos? O xadrez europeu não é para meninos, é só o que vos digo. Em primeiro lugar, queria daqui endereçar os meus cumprimentos ao Manuel Monteiro, que há muito não vencia actos eleitorais, ou de outra espécie qualquer! Em segundo lugar, apelar a José Seguro que aceite coligar-se com a Nova Democracia. Ao que parece, o PASOK não aceita coligar-se com os ultra conservadores de direita, que em termos económicos são ultra lib€rais, o que na escala aberta de Merkel é considerado um sismo político de 9.6, e daí eu lançar aqui este apelo aos socialistas gregos: joguem pelo Seguro e se Evangelos Venizelos não quer, por que não convidar os socialistas portugueses para "facilitarem" uma maioria no parlamento grego, para assim se poder melhor governar a europa?! Parece uma equação complexa - e é - mas vamos fazer de conta que é simples! Os gregos já demonstraram que vão mais longe quando liderados por portugueses... Agora mais a sério: parabéns a Manuel Monteiro pelo regresso à ribalta política e um bem haja para ele, onde quer que a ribalta fique. Quanto aos socialistas gregos, não se percebe: ao que parece, não querem coligar-se com os radicais de direita... Não, não, que nojo! Enfim, questões de princípio, das quais não se pode abrir mão, mesmo estando em causa os superiores interesses da nação... Compreende-se... Ali no nordeste da Gronelândia... Não há ursinho polar que não se espolinhe num bloco de gelo de tanto contentamento e que não compreenda isto... Voltando ao xadrez, no último fim de semana ficou mais do que provado que Portugal e Grécia dependem apenas de si para continuarem no Euro, aliás, como já haviam provado em 2004, e num volte-face de última hora a Grécia pode mesmo fazer as malas à Alemanha já esta semana, o que seria assim como o Humpty Dumpty fazer amor com uma gata persa e daí vir um novo ser ao mundo, enfim, vocês sabem a quem eu me refiro. Quem? O Angelô? Não... morno! Mas podia ser, mas podia ser... Quem? O Castelo-Branco? Quente, quente! Vocês apanham-me sempre nesta! É isso mesmo, é a Belle Dominique... Quanto ao duelo greco-germânico, pode dizer-se que já começou fora das quatro linhas, com a imprensa alemã a caracterizar a vitória de ontem dos ultra conservadores de direita em termos de posicionamento político, que são ultra lib€rais em termos económicos, volto a sublinhar, o que no xadrez europeu significa que são a rainha porque assim podem andar várias casas ao mesmo tempo e em todas as direcções, como sendo "pouco clara" (Frankfurter Allgemeine), "os conservadores não estão entusiasmados com a política de austeridade", (Frankfurter Allgemeine). Já para o Tagesspiegel, mais preocupado com o mercado de transferências, a Grécia assinou pelo Euro por 500 mil milhões de €uros. Portugal, por exemplo, preferiu assinar pelas PPP's por valores bem mais modestos, cerca de 50 mil milhões de €uros. (Pausa) Um zero a menos à direita para um país um zero à esquerda dirão os nossos detractores. (Pausa) Ainda dizem que o Estado português não injecta dinheiro na economia!... (Pausa) Ainda dizem que as PPP's são más para o país! Enfim, adiante: é caso para dizer que os dados estão lançados (há uma expressão em latim para isto, mas num texto sobre a Grécia pareceria provocação), só é pena é que os jornais alemães não tenham feito uma única referência a Manuel Monteiro ou ao seu discurso de vitória, pelo menos, àquele proferido em 1993, em Braga. Finalmente, é caso para dizer: os gregos ganharam no sábado, ganharam ontem... portanto, marquem qualquer coisa para os gregos hoje que eles estão em maré de ganhar, se possível, os quartos-de-final do campeonato da europa. O resto, pode ficar para os alemães... Beijô!

Nenhum comentário:

Postar um comentário