quarta-feira, 20 de junho de 2012

Apontamentos sobre a crise para stand-up

O que me chateia na crise é o desespero das pessoas. Não porque fique com pena das pessoas, mas porque o pesadelo é pouco estético! Uma pessoa desesperada é uma pessoa feia e sem modos, que grita, se descabela e baba... Enfim, o que se pode desejar nestas alturas é que a crise passe rápido, que eu não estou para estas cenas. Paguem lá as contas e penteiem-se se fazem o favor. (Pausa) Uma pessoa sai à rua e é sinais de desespero por todo o lado. Ainda há bocado, antes de vir para aqui, passei por uma loja que dizia: "Vendo ou Alugo"... Na realidade, o que lá estava escrito era: "Vendo ou Alugo ou Outra merda qualquer"! (Pausa) Antes da crise os proprietários era mais selectivos: ou vendiam, ou alugavam. Normalmente, aquele que queria vender não queria alugar e o que queria alugar nem pensar em vender. As pessoas tinham critérios antes da crise... Outra coisa que me chateia imenso em alturas de crise é que não se fala doutra coisa, mesmo quando a situação não se dá, e tudo tem como razão ou justificação a crise! No outro dia fui à piscina... Cheguei lá e tal, mergulhinho e quando venho à superfície para respirar aparece-me uma cota de touquinha bordeau a dizer: "Está fria... É a crise". Eu ainda tentei dizer que a água estava pelo menos a 25º, mas ela disse-me que eu era novo e tinha sangue na guelra. Eu ainda lhe tentei explicar que não tenho guelras, mas ela respondeu: "Isso é o que você pensa!...". Arrumou comigo, acabei a dizer que isto estava mau e a continuar assim que eu não sabia onde isto ia acabar... Dei mais um mergulho e quando regressei à tona... o Martins, que andou comigo no liceu e que costumo encontrar na piscina, precisamente... Conversa vai, conversa vem, e o gajo diz-me: "Isto está mesmo vazio! Vem cada vez menos malta à piscina... É a crise, meu, é a crise!". Eu ainda lhe disse: Oh Martins, se calhar tem  a ver com o facto de serem sete da manhã e este horário não ser muito concorrido... Ele disse: "Não é nada, é a crise!", e eu disse sim, sim, é a crise, que isto está mesmo mau... No domingo passado, fui dar um passeio pela baixa com a minha mãe. Eram oito da noite e ela disse: "Filho, já viste que não há gente na rua! As lojas e os restaurantes estão às moscas...". Eu ainda lhe disse que Portugal jogava o seu futuro no Euro e que era normal não haver ninguém na rua, além disso era domingo, era normal que as lojas estivessem fechadas ao domingo à noite... Ela disse que não era nada, que era a crise, e que se Portugal jogava o futuro no Euro mais uma razão para as lojas estarem abertas e o comércio a facturar! Desarmou-me e eu acabei por ceder... (Pausa) O que é certo é que já não há muita pachorra... E depois a crise gera uma certa esquizofrenia nas pessoas: por um lado a crise é má, por outra ando sempre a deparar-me com pessoas que dizem que "é uma oportunidade", que é "em tempos de crise que surgem as grandes ideias" e que se "fazem os grandes negócios". Ninguém faz puto-ideia como é que isso se faz ou acontece, só se sabe que é nestas alturas que estas coisas acontecem... Depois, ou bem que a crise é uma coisa má, ou bem que não... O que é verdade é que nunca vi tanta gente à bica para entrar no carrossel: foi a Islândia, a Irlanda, a Grécia e Portugal. O Chipre, que não pode ver a Grécia a fazer alguma coisa que vai logo atrás, também já vai em cima do cavalinho... Agora é a Espanha e a Itália que estão desertinhas de entrar... E acho que a França e a Inglaterra vão dar, respectivamente, uma mãozinha...

(Texto incompleto)

2 comentários:

  1. Hello miúdo, genial, como sempre... estou contigo, já não consigo ouvir falar da crise... apre, não haverá outros assuntos? Sexo, que tal? Talvez fossem/andassem mais felizes, digo eu... Quanto a ti, força aí, continua que o caminho é em frente... beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A crise vem do grego Krisis e significa qualquer coisa que agora não me lembro. Só podia vir do grego, diriam os alemães. Para mim, mudamos já de assunto também. Mas é tema actual para stand-up, apesar de batidinho, reconheço. Bj e as melhoras... Precisamos da nossa defensora das causas justas em forma.

      Excluir