domingo, 20 de abril de 2014

O estado do tempo para amanhã

É assim: tomei a resolução de hoje não fazer piadas futebolísticas fáceis com a ressurreição de Jesus ao terceiro campeonato conforme A Bola, e por isso, se estão à espera de humor fácil, vão assistir aos compactos dos "Monty Python e o circo voador" ou às crónicas de Nicholas Bedos em On n'est pas couché e, já agora, aproveitem que lá estão e tentem descobrir as 7 diferenças entre o Manuel Luís Goucha e o Laurent Ruquier. Piadas fáceis de mim não espereis nada! Para mim Jesus hoje está fora de questão! Ui, exemplo de mais uma piada religiosa de cariz futebolístico aparentemente fácil que eu não farei! Quanto aos temas para hoje, se retirarmos religião, futebol e política, só nos resta perorar sobre física quântica e biologia molecular... É isso mesmo, vamos falar de José Castelo Branco no âmbito da física, de Cláudio Ramos no âmbito da quântica e de Manoel de Oliveira, no sentido em que se trata de um vivo e, como toda a matéria, mesmo inerte, composta de moléculas. Ou, então, não vamos nada, porque o objectivo pretendido já foi amplamente alcançado, estou certo, de vos predispor para o riso. Basta dizer José Castelo Branco, ou beber dois conhaques antes de ouvir uma piada, mesmo que fútil, para que funcione. Também funciona com Relvas. Como hoje é dia santo, gostaria de começar por uma entrada à Fernando Rocha, mas com requinte, porque aqui não há piadas com tibúrcios, ou então, se houver, é apenas na medida em que há tibúrcios nos romances do Vargas Llosa. Vamos lá então:

PU.. QUE PAR.., É PRÓ BOSÃO DE HIGGS, MAI NADA! 

Perceberam? 
Até a Barack Obama! Ui, então este trocadilho com o nome do presidente dos EUA, que já foi usado por tudo o que é maluco do riso com espectáculos ao vivo ou programas de sketches, é do melhor. Como procede um trocadilho de nível superior com a famosa entrada de Fernando Rocha, esta crónica merece à vontade o Nobel das crónicas, que é, como toda a gente sabe, qualquer um dos 300 prémios anuais promovidos directa ou indirectamente pela Associação Portuguesa de Autores e Livreiros. Ui, ressabiado que ele é, o pequeno!, parece que vos estou a ouvir. Não vos percebo?! Só porque escarneço de prémios não quer dizer que esteja à espera de algum, ou sequer de reconhecimento, ou sequer de uma referência em algum órgão de comunicação social. Como a crónica ainda nem sequer começou e já esgotei os temas para hoje, vamos falar do tempo para amanhã, que é uma espécie de show de Dom DeLuise dirigido por John Burns e apresentado pelo Jô Soares. Ou então, é só mais uma mer.. qualquer e, por isso, estou com boas perspectivas de que gostem!

PS. Prometo que não farei piadas com JCB, CR ou a FdN (filha do Nené). 
Juro! Juro! Juro!
Croix de bois, croix de fér, si je mens je vais en enfer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário