quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Crato anda desconfiado dos licenciados em escolas superiores de educação, que o Pai Natal exista mesmo e sobre a verdadeira identidade da filha de Nené

Em entrevista esclarecedora ontem à RTP, o ministro da educação confessou que anda desconfiado dos "licenciados em escolas superiores de educação". O ministro não evidenciou, contudo, qualquer desconfiança em relação às escolas superiores de educação em si mesmas, tanto é, que todas elas abriram as portas esta manhã e continuarão a formar técnicos para a área da Educação, pelo menos, até ao fecho do expediente. Entretanto, Nuno Crato nada disse sobre as Escolas Superiores de Gestão, sobres as Escolas Superiores de Hotelaria e sobre as Escolas Superiores de Teatro e Cinema, mas deduz-se que ande preocupado. Sabe-se agora que o ministério homologa com a pulga atrás da orelha os cursos das Escolas Superiores de Educação, e daí a Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC), que, sabe-se também agora, serve para apanhar na rede professores com menos de cinco anos de serviço docente oriundos dessas, sabemos agora, escolazecas. Agora, faz tudo tudo muito mais sentido. Tanto sentido como o cruzar de pernas de Catarina Furtado do Cláudio Ramos. O ministro Nuno Crato não avançou ainda assim qualquer medida para apanhar em flagrante delito de falta de competência professores com mais de cinco anos de serviço que tiraram os cursos nas ditas Escolas Superiores de Educação, e que estão isentos da prova. O ministro também não disse nada sobre como pretende caçar os professores que tiraram os cursos nessas escolas, sabemos agora, incapazes e que já entraram nos quadros do ministério. Sobre os professores competentes que tiraram os seus cursos em Escolas Superiores de Educação, mas que têm mais de cinco anos de serviço, Nuno Crato não explicou como poderão fazer prova dessa competência. Por isso, por enquanto, continuarão a passar por incompetentes. Estive atento à entrevista e Nuno Crato também não disse nada sobre professores oriundos das Universidades Católica, Clássica, Letras, Portucalense, Lusíada, Minho, Coimbra e Algarve que durante a sua formação superior tenham sido apanhados a copiar durante os exames. De igual modo manteve o silêncio sobre como vai avaliar os candidatos a juízes apanhados a copiar no exame de acesso à magistratura, e que tenham menos de cinco anos de serviço. Já sobre as licenciaturas de Miguel Relvas e José Sócrates, Crato também não se pronunciou, mas como o primeiro tem menos de cinco anos de serviço no governo terá de fazer uma prova para se poder voltar a candidatar a cargos executivos no sector público. José Sócrates, que esteve mais de cinco anos em São Bento, safou-se por um ano. Nuno Crato é aquele homem que levantou finalmente a cabeça e anda à procura de culpados, vê-se que está com dificuldades mas ao menos anda à procura... É normal, eu quando olho em redor também não me consigo ver, também não me encontro. Mas ainda bem que Crato anda por aí, senão isto era uma balbúrdia! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário