segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Sim filho, os líderes europeus existem mesmo! Sim, e vivem na Lapónia!

"Folheava" eu as páginas dos principais jornais on line, pensava, num exercício de auto-flagelação com o chicote impiedoso da actualidade, eis senão quando me deparo com a melhor prenda de Natal que uma pessoa pode ter na véspera do nascimento do menino: o Pai Natal existe mesmo e, o melhor de tudo, é trino e chama-se Hollande, Monti e Rajoy na tradição romana. Na grega, é tetra e chama-se Hollande, Monti, Rajoy e Rompuy. Na tradição portuguesa, é treta! É que, para quem anda desatento a fazer compras de última hora, ou a seguir à lune o boletim clínico de Manoel de Oliveira, e a fazer apostas, alguns dos principais líderes europeus dizem agora que a crise está mesmo a acabar. O mundo não acabou na semana passada, mas a crise acaba para a semana. São escatologias só aparentemente diferentes, o demiurgo esse é que não é igual. Para o demiurgo Hollande, a coisa já acabou aqui há coisa de dias, a francesada é que anda ocupada a fazer a bûche, como nós por cá o bolo rei, e não demos por nada! Para o grande artífice italiano, a crise acaba em 2013, ou seja, apenas daqui a alguns dias, sendo que agora faz todo o sentido a demissão de Monti: o seu trabalho estava, sabemos agora afinal, feito! Já Rajoy acaba de aumentar o salário mínimo em Espanha o que à luz desta boa nova se compreende totalmente! Para os teólogos que até hoje se inquietaram com a questão da Santíssima Trindade, surge agora um novo desafio que o cânone ainda não instiuiu: a trindade de São Nicolau, que a não ser uma perturbação de personalidade, deixa a questão: o que será, então?... Já o anúncio à São João Baptista de que vem aí o reino da abundância, outra vez, tal como estava escrito no Tratado de Constituição Europeia, mostra que o principal problema teológico dos últimos dois mil anos e quê, como diria Ratzinger, é afinal, económico. O pai natal é, antes de mais, um problema epistemológico! E logo agora que eu já tinha dito ao meu filho que o pai natal não existia, que era eu que tratava de tudo. Como eu que eu lhe explico isto agora? Vai pensar que o pai é um farsante! Que o pai não existe! E agora?
Crónica humorística escrita para jornal ou revista!

Leia a propósito:

http://www.remediodosescaravelhos.blogspot.pt/2012/10/o-jose-castelo-branco-existe-pai.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário