sábado, 17 de novembro de 2012

Cavaco, sem ti, nada disto seria possível...

O presidente do Uruguai, José Mujica, é considerado por muitos o presidente mais pobre do mundo. Prescindiu para doações de cerca de 90 porcento do seu salário como presidente da república, ficando com pouco mais de 900€ mensais de remuneração. Eu sei em quem vocês estão a pensar: no nosso presidente da república.... E eu sei o que é que vocês estão a pensar sobre ele: que o nosso presidente bate o uruguaio aos pontos. Pois para que conste no Uruguai, onde sei que este espaço é seguido com especial interesse, Cavaco Silva nem com dez porcento do salário presidencial quis ficar e prescindiu da totalidade da sua remuneração. Cavaco era um simples pensionista e simples pensionista quis continuar a ser depois de ter sido eleito presidente, o que só demonstra que o cargo não lhe subiu à cabeça, e que não é um ganancioso como Mujica. O pormenor das reformas ser maior do que o salário é isso mesmo, um pormenor, e estou aqui para assegurar a todos os uruguaios que mesmo que não houvesse pensão alguma o nosso presidente, por amor à camisola da pátria, prescindiria igualmente da totalidade da sua remuneração. Como é que eu sei isso?, perguntam os meus seguidores uruguaios em português... Tenho um dedo mindinho da mão de um adivinho muito meu amigo que me disse. Mais, o nosso presidente é uma pessoa com problemas de saúde, sofre de mutismo selectivo e podia muito bem querer o faustoso salário de presidente para pagar os tratamentos, mas privou-se do tratamento, como é sabido, pois fala cada vez menos, sobretudo, daquilo que mais interessa, o que só prova como o seu mutismo é selectivo - a forma mais perigosa de mutismo que existe - e como está disposto a sofrer por nós. Já o presidente do Uruguai apenas apanhou seis tiros enquanto lutava pelas cenas dele lá no Uruguai, e mesmo assim, quando se viu no poleiro, não se quis privar de nada! É impressionante a diferença entre estes dois mundos, sem dúvida, estas duas atitudes marcam bem uma linha que divide o mundo civilizado da selva. Venho, por isso, lançar um repto a todos os uruguaios: nas próximas eleições, votem em Aníbal Cavaco Silva, para o bem de Portugal. Ainda hoje o nosso presidente afirmou que espera que não falte nada aos desalojados do mini tornado do Algarve, que é uma espécie de Bravo Bravíssimo do mundo das intempéries, e que está a fazer tudo o que está ao seu alcance, apesar de nada parecer estar, nomeadamente, figas para que tudo corra pelo melhor com aquela gente. Com pessoas como o nosso presidente, tenho a certeza de que nada lhes há-de faltar. Nada. 

Crónica humorística escrita para rádio

Nenhum comentário:

Postar um comentário