quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Notas para Stand-up: "Um gajo"


1. Um gajo pode estar com cancro em fase terminal... mas se vir uma gaja boa na rua olha-a de cima abaixo...
A mulher vai fazer-nos, de certeza absoluta, uma crise de ciumes daquelas que só a uma mulher sabe fazer, ou melhor, daquelas que só a nossa mulher sabe fazer, mesmo que nós já só tenhamos 30 kg e dois dias de vida pela frente... Ela quer lá saber disso!... Hão de ser os dois dias mais infernais da nossa vida... E não porque vamos morrer daí a dois dias... Mas porque ainda vai demorar dois dias...

2. Este verão, uma maneira fácil de distinguir um gajo português de um tipo alemão, por exemplo, na praia é que o português quando se punha ao sol... insolvia-se! (Pausa) Ao passo que o alemão ficava simplesmente vermelho! Ambos são gajos, mas o português é mais "gajo" que os outros... O grego era a bola de fogo que passou a correr... (Pausa) Na direcção oposta ao mar...

3. O stand-up de um gajo mete sempre gajas ao barulho... Senão meter, é porque o comediante é gay! E não faz stand-up... Faz stand-uipiii... (Pausa) Não há hipótese... Eu para evitar esse tipo de confusões, começo sempre os meus espectáculos com piadas sobre gajas! De preferência, depreciativas... Quanto mais depreciativos formos em relação ao sexo oposto, mais machos somos... É o melhor barómetro de masculinidade... Eu pessoalmente adoro fazer stand-up, e uma das razões prende-se com o facto de cá de cima ser o melhor sítio para ver gajas... 
 
4. Há uma coisa que as gajas detestam: é que as tratemos pelo nome... Ou seja, por "gajas"! Se a gente disser:
- Olha-me esta gaja?!... É certinho que vem aí um:
- Não me chames gaja! Claro que a gente vai retorquir:
- Porquê? Não és gaja?! Da última vez que olhei eras... É certo que não és grande coisa, mas não deixas de ser gaja...
(Pausa) É assim, se alguma vez lançarem uma bomba destas, tenham o cuidado de se atirarem para o chão e de se protegerem com os braços... É que podem ser vítimas das vossas próprias balas...

5. Depois: quantos gajos existem na conversa de um gajo? Na mesma conversa, um gajo mete mais de 20 gajos ao barulho:
"Fui ao banco e o cabrão do gajo ["cabrão" é uma espécie de título nobre que antecede o "gajo" e, ao contrário do que possa parecer, valoriza o "gajo"... Um "cabrão do gajo" confere um estatuto superior em relação ao gajo que é só "gajo"] que me atendeu estava a engonhar a falar com um gajo qualquer ao telefone! Para azar, o gajo que estava à minha frente na fila era um amigo de infância, que eu já não via há séculos, e estava sempre a meter conversa e a falar dos gajos todos que andavam connosco na escola quando éramos miúdos."
Outro exemplo:
"Ó pá, eu ia ali numa daquelas avenidas novas do Parque das Nações e um cabrão d'um gajo, que é mesmo assim que não tem outro nome, enfiou-se na minha traseira num semáforo. E não é que o cabrão não queria assumir... O cabrão... E depois apareceu outro gajo, que devia ser amigo do cabrão do gajo que me bateu, armado ao piganrelho! Um gajo vê a vida a andar para trás... Claro... Por acaso, o polícia era um gajo porreiro e chegou lá e pôs os pontos nos is e a coisa compôs-se..."

6. Um gajo tem de um fazer o que um gajo tem de fazer... Eu decidi finalmente enfrentar os meus traumas de infância... Vou contar-vos hoje, e pela primeira vez em público, o que se passou... (O comediante suspira, como se ganhasse fôlego para o que aí vinha...): quando era miúdo sofri um bocado às mãos de uns colegas que se juntavam para me aquecer as orelhas... Eu vem-me sempre à cabeça o bullying que sofri na escola quando era puto... Às vezes, acordo de noite com suores frios e a agarrar na minha mulher pelos colarinhos... (O comediante ri-se cumplicemente com o público) É assim, às vezes já estou acordado há cinco minutos e agarro-a na mesma pelos colarinhos... (Pausa) É mais forte do que eu... (Pausa) Eram uns gajos do 6º C... O meu psicanalista mandou-me enfrentar essas memórias, que um gajo tem de encarar, enfim, aquelas coisas que eles dizem... Não se deixar atemorizar, etc... Eu ganhei coragem e fui ao ciclo onde andei quando era puto, perguntei onde é que estava o 6.º C, entrei na sala, e fui lá pedir explicações... Ficaram todos cheios de medo! Comecei a partir tudo! Eles olharam para mim como se não me conhecessem de lado nenhum... Mas eu lembro-me bem, apesar de já terem passado vinte anos, que eles eram da turma do 6.º C! Enfim, o que é certo é que no fim eles pediram-me desculpa e eu finalmente posso voltar a andar de cabeça levantada na rua e sem estar sempre a olhar por cima do ombro...

7. Finalmente: é pá, não vos chateia que haja sempre num gajo na secção de frutas do supermercado que saiba escolher melões?! Há sempre um gajo que é especialista em cus de melões. E que olha para nós como se tivéssemos um atraso só porque não fazemos puto ideia como é que se distingue um melão verde de um pronto a comer... Um gajo que sabe ver se o melão está bom apalpando o cu ao melão... Há alguns que é pior: cheiram o cu ao melão!... (Pausa) Para mim já era suficientemente mau saber que um melão tem cu... Quanto mais agora ter de o apalpar ou cheirar... (Pausa) Essa merda até deve ser crime... Por mim, abra-se o Tarrafal outra vez e meta-se lá estes gajos todos dentro... Um gajo a cheirar melões no meio de um supermercado com senhoras a passar e a ver cheira a taradice!

8. Depois, há o gajo que conhece sempre o gajo de quem estamos a falar... mesmo que não o conheça de lado nenhum... E dizem vocês:
- Ah, esse gajo, estamos a ver perfeitamente...

Adeus, boa noite


Nenhum comentário:

Postar um comentário