segunda-feira, 21 de maio de 2012

Such a perfect day...

Estou com uma dor ali quem desce pelo braço direito abaixo, chega à mão, passa o dedo indicador e dói-me a seguir à unha. É aí que me dói e não posso chegar-lhe nada porque cai tudo ao chão. Está aqui uma lixarada à minha volta que até parece mal. Pois é, o Sporting perdeu a taça de Portugal para a Académica, mas aquela estudantada são mesmo uns irresponsáveis. Não se sabem mesmo comportar, não têm cuidado nenhum. Mal se apanharam com a taça na mão, partiram-na toda. Palavra que quando vi o presidente da Académica a tentar reconstruir o caneco e a dar uma entrevista para o canal público de televisão pensei que aquilo era serviço público e bricolage ao mesmo tempo, e que assim, sim, vale a pena pagar taxa de televisão, TDT, PSD, CDS e as outras cenas todas que a gente paga. Por seu turno, os do Sporting disseram que não queriam uma taça partida para nada, e pronto, foi o que disseram. Ah, e o Sá Pinto também disse que disputaram o jogo até ao último minuto, o que significa que o jogo não acabou aos cinco, nem aos 45, nem aos 60 minutos, e em boa hora o disse, pois havia dúvidas. Entretanto, ontem foi um domingo em cheio, porque depois da taça na RTP, houve Marcelo na TVI e, depois disto, houve globos de ouro na SIC. O que é que se pode pedir mais? Para aqueles que fomos à missa de manhã e comemos assado ao almoço foi um domingo perfeito. Quanto aos globos, foi apresentado pela bocaaaaa da Bárbara Guimarães que, quando a abre, estou sempre a ver quando é que saem lá de dentro o Ali Ba Bá e os 40 ladrões, mais os camelos e os baús cheios de ouro. Se aquilo não é uma gruta, é uma mina e deve haver gente lá dentro presa a tentar sair. Enfim, os globos de ouro é sempre uma cerimónia interessante, cheia de momentos que ficam para a história, como aquele em que aquele gajo de que me esqueci do nome e que venceu uma categoria qualquer se esqueceu do nome do Rodrigo Freitas, que concorria com ele na categoria de melhor actor de cinema. De uma educação esmerada aquele rapaz. Depois, há sempre uma coisa que me impressiona muito: a pobreza. Tanta gente pobre e a necessitar de dinheiro. Já não via tanta gente de mão estendida assim há muito tempo, a fazer lembrar a baixa em dia de compras. No fim, o prémio mérito e excelência foi para Francisco Pinto Balsemão. "The mouse" - que é assim que carinhosamente dizemos Bárbara Guimarães - disse que ele não sabia de nada e quem se risse levava tatau! E assim foi, ninguém se riu, nem quando a câmara focou o Cláudio Ramos e no fim foi toda a gente para casa de boleia que os combustíveis estão caros e aquela malta é pobre.

3 comentários:

  1. Em relação ao futebol aconselho-te "Compensan" que faz muito bem à asia... Podes ir a qualquer farmácia :-)
    Em relação aos Globos de Ouro tenho outra má notícia para te dar: quando o grande André Vilas-boas foi ao palco receber o prémio de melhor treinador, durante o discurso de agradecimentos referiu-se ao nosso PAPA como "o meu presidente". Parece-me plausível ler nestas entrelinhas que está subentendido que se trata do mais recente funcionário do FCP!!! A ver vamos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, quando vejo o Vilas-Boas acho sempre que lhe falta um "l" no nome. Villas-Boas... E também penso que uma tertúlia com ele, o João Malheiro, o Abrunhosa, moderada pelo Joaquim Monchique a fazer de Zeca para os amigos, José Carlos Pereira para o público, era um acontecimento único.

      Excluir