sexta-feira, 20 de abril de 2012

O vosso trombone não me é estranho...

Onde é que está o presidente? Desculpem começar assim, sem introdução, mas há coisas que não vão lá com paninhos quentes! Eu sou uma pessoa séria, honesta. Quando decidi ter filhos, por exemplo, foi pelo método tradicional. Foi a minha mulher que os teve... (Pausa) Nem toda a gente pode dizer o mesmo. Foi-se o abono dos miúdos, o subsídio de férias e de Natal, aumentou o escalão de IRS, criaram uma taxa de IMI suplementar para os portugueses que vão trabalhar para Andorra, criaram um novo imposto alimentar que vai ser pago duas vezes: pelos grossistas do sector ao Estado e pelo consumidor aos grossistas. Que estes são grossos, por alguma coisa é! Paga-se taxas para ver televisão, de ocupação do subsolo (- De quê?!), iva a 23 porcento, a dúzia d'ovos está pela hora da morte. Cuidado que a gente enerva-se e a malta em Espanha ainda se manifesta! Para já andamos calmos, mas cuidado, que a gente chateia-se e a malta na Grécia barrica-se em sítios e queima coisas! E o presidente? Há um muito bom feito pelo Manuel Marques... Não sei se conta?!... Estou a ser injusto?! Então porquê?!  Ah, porque ele ainda a semana passada se pronunciou sobre a Guiné, inaugurou umas coisas e recebeu o presidente da Áustria (- Quem?!)! Dizem vocês: ao menos o nosso presidente não vai caçar elefantes para África! Sim, mas vai caçar reformas para Belém. E vocês: ah, mas Belém é uma zona rica e ninguém vai dar conta, mais reforma, menos reforma... Pronto, está bem, eu aguento-me mais um bocado. Deixo o presidente para a semana! Até lá, pode ser que me dê um enfarte na traqueia e ele se safe! (Pausa) Qual é a grande questão do momento para vocês, então? (Pausa) Onde é que está esta a semana a actuar a irmã da Luciana Abreu, que participou no casting dos Ídolos de domingo passado e foi só mimo?! Pois, realmente, não tinha pensado nisso! E é pertinente. Vocês estão atentos. Esperem só aí um bocadinho enquanto eu ouço com atenção a letra da Salve Rainha na Renascença. Desculpem, já está, tinha uma dúvida no refrão. Têm outra questão pertinente? Ok, chutem com força a ver se dão cabo de mim ou partem um vidro cá de casa! Quantos anões-bebé havia debaixo do vestido vermelho da Cristina Ferreira, na última gala do "A tua cara não me é estranha", a fazerem-lhe coisas? É que a maneira como ela ria a gritar ao mesmo tempo que, como é que se diz em linguagem televisiva, guinchava como se apresentasse não é para qualquer um(a)... Caramba, vocês não são meigos! Não sei o que é que as pessoas com nanismo vos fizeram para vocês agora virem com isto?! Isso é aquilo a que se chama humor gratuito. Das duas, huma: ou sois humoristas frustrados e trabalhais em limpezas para ganhar a vida, mas o vosso sonho é serdes cunhadas do Yannick Djaló; ou sois policiais (brasileiros). Á coizas k ñ s perssevem! Desculpem o purtuguês, é que falasse em Djaló e comesso logu a ter relações com a límgua purtugueza. Ah, é verdade, hoje pode-se comer carne? Pode? Ainda bem, senão de hoje já não passava.

PS. Então não é que Portugal aparece como o quinto país que menos confiança tem no seu executivo governamental. Isto, segundo um estudo europeu que deixa no ar uma questão que é uma perplexidade ao mesmo tempo: como raio de carga de água ainda há quatro países mais desconfiados dos respectivos governos que nós? Somos um povo muito crente, sem dúvida nenhuma.

PS1. E sexo esta noite, pode ser?

PS2. A pergunta não era para vocês...

Nenhum comentário:

Postar um comentário