terça-feira, 24 de abril de 2012

Gente coisa

Não sei se já vos disse, mas tenho um orgulho enorme no meu rim esquerdo, porque produz um chichi de óptima qualidade que muitas alegrias me tem dado. Acho que toda a gente tem um rim de que gosta mais do que outro. É normal. Para mim, o esquerdo é um rim especial, desde pequenino, e afeiçoei-me logo no primeiro contacto, porque, até onde me leva a memória, lembro-me de estrear a minha esguichadela de longo alcance no rosto de uma mulher a dias indiana, a Bia, que apesar da sensualidade do nome, carregava duas arrobas de peso a mais. Eu sei que não é politicamente correcto dizer que se gosta mais de um rim do que de outro. O importante é que venham com saúde, eu sei. Mas não posso fazer nada, é mais forte do que eu. Aliás, acho que há muita hipocrisia no que respeita a este assunto: toda a gente gosta mais de um rim do que do outro, não quer é admiti-lo... Também tenho muito orgulho no meu filho mais velho, que é alto e tem os joelhos bonitos. O mais novo é feio, baixo e tem joelhos desarranjados. Se tivesse que dar um para adopção, dava o mais novo. Ah, e vocês chocados com isto e cheios de profunda indignação: e por que razão não aprecias tanto o teu rim direito? É uma pergunta e uma parvoice ao mesmo tempo... Eu no que toca aos rins sou canhoto! Habituei-me a fazer tudo com o rim esquerdo, e agora não uso o direito para nada. É como se fosse manco renal. Vou à casa de banho e uso o rim esquerdo, vou ao médico e só me queixo do rim esquerdo, vou às compras e só uso o rim esquerdo. Até me esqueço que o direito está mesmo ali, à mão. Ah, parece que vos ouço a fazer parapente do tejadilho de um carro abaixo como quem deixa cair uma questão: tanta gente a precisar de um rinzito, bem que podias dar o direito, já que és canhoto de rins... E uma pessoa só com um rim vive bem, eu sei, eu sei... Eu até podia, tenho é medo que o rim esquerdo se parta. Se se partir, tenho de lhe pôr gesso e usar o outro. Sim, mas pôr gesso no rim está fora de questão, pois não é tecnicamente possível, parece que vos ouço declamar em Manuel Alegre. Se for esse o caso, e ainda tenho de confirmar, ponho-lhe uma banda elástica e fica em repouso o tempo que for necessário. Rim é rim. Por falar em rins, não é que o pessoal do hospital de Braga não vai poder usar piercings, tatuagens, vestuário coiso e penteados extravagantes?! Isso significa que a lady Gaga está fora de questão em enfermeira? Que Marilyn Manson na pediatria nem pensar? Num casting para o hospital de Braga, passavam o André Sardet e a Susana Félix e pouco mais... Que pena... Braga respira de alívio por se ter livrado de gente demoníaca... O que se segue? Recusar doentes com lepra, porque têm mau aspecto? Até fico piurso...
PS. Se a Maria José Valério e a Wanda Stuart se aleijarem em Braga vão fazer o curativo aonde?
PS.2. Neste blogue só trabalha gente de jeito. Não há cá coisos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário