domingo, 11 de março de 2012

Vendo ideias

Preciso de dinheiro para acabar de construir uma casa, onde pretendo criar os meus filhos e amar a minha mulher. Por isso, se o sketch anterior não obtiver sucesso humorístico, estou disposto a vendê-lo para os cursos de inglês das edições Readers Digest, pela quantia necessária de dinheiro. Nunca por menos disso. Sim, sei ladrar e dizer: this is a dog. Não, nunca por menos disso, já disse. Entretanto, vendo ideias. Tenho muitas espalhadas cá dentro. Estão é à solta. Terão de as conseguir apanhar para as poder comprar. Tenho uma balança de precisão para as pesar, pois o preço de cada ideia é determinado pelo seu peso. Não, nunca por menos disso, espero não ter de o repetir. Há alturas do dia em que elas saem para apanhar ar fresco e respirar. As minhas ideias são como as baleias. São pesadas, precisam de respirar e amam quem as trata bem. Essa é a melhor altura para as capturar, quando saem para respirar. Não posso contudo garantir que em cativeiro tenham o mesmo comportamento que em estado selvagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário