quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Chamada de emergência

Segundo soube hoje pelos media, a corporação de bombeiros de Castro Daire deixou de responder a todas as ocorrências, apenas dando resposta aquelas consideradas mais graves. Problemas de tesouraria impedem a corporação de abastecer as viaturas de socorro. Não consigo sequer imaginar o que será um dia a atender telefones naquele quartel de bombeiros.

Quartel de bombeiros - Estou?
Local do sinistro - (Voz calma) Estou? É dos bombeiros?
Quartel de bombeiros - É sim, minha senhora! Faça o favor de se acalmar! Ora diga?
Local do sinistro - (Voz calma) Olhe, o meu marido acaba de ter um avc! Têm de vir o mais rapidamente possível para aqui! Eu moro em Satão, mesmo no centro, junto à igreja.
Quartel de bombeiros -Oh minha senhora, pelo amor de Deus! A senhora mantenha a calma. Estar nessa pilha de nervos não vai ajudar o seu marido! (A mulher faz uma expressão de admiração!) Olhe, em primeiro lugar, nós só estamos a dar resposta às chamadas graves! (Pausa) Em segundo, a senhora está a interromper-me a linha e a evitar que uma chamada verdadeiramente urgente chegue aqui à corporação!
Local do sinistro - (Mantém a calma) Olhe, peço imensa desculpa, mas o meu marido teve um acidente vascular cerebral. Um A.V.C. (soletra)!
Quartel de bombeiros -Olhe: não vale a pena ir por aí... Não é com ironias que nos vamos en-ten-der (soletra)! Percebeu?
Local do sinistro - (Mantém, ainda assim, a calma) Deve haver um mal-entendido. Olhe, eu só preciso que envie uma ambulância a Satão. O meu marido teve um avc. Ele está a morrer!
Quartel de bombeiros - Que exagero, minha senhora. A senhora acalme-se! A senhora acalme-se, pelo amor de Deus! Isso não é nada! Eu já tive dois e estou aqui para as curvas! Vai ver que não tarda nada ele levanta-se com um andar novo, a dar um bocadinho de traseira, como se nada fosse e ainda vai ralhar consigo por causa do alarido que está a fazer à conta de uma ninharia.
Local do sinistro - (Mantém a calma. Parece conformada) Mas ele está inanimado!...
Quartel de bombeiros -Mais uma razão para não irmos. Deve estar a descansar. Os AVC's são uma coisa que cansa muito. Olha, faça o seguinte: deite-se ao lado dele e espere que ele acorde. (Pausa) Não há nada que o tempo não cure! (Pausa) Mas olhe, para não dizer que estou de má vontade, são neste momento três da tarde. Se vir que até amanhã de manhã ele ainda não acordou, volte a ligar. Eu deixo aqui um post it para o meu colega que faz as manhãs ficar inteirado do que se passa. Agora deite-se ao lado do esposo e vá-lhe fazendo cócegas, a ver se ele acorda. Com licença, boa tarde!
Local do sinistro - Boa tarde...



Nenhum comentário:

Postar um comentário